Osasco

Para não sobrecarregar colegas, Educação reduz suspensão de professoras envolvidas em casos de negligência

Uma criança foi mordida e outra sofreu queimaduras nos pés em creches municipais. Segundo nota na Imprensa Oficial, redução do prazo de afastamento preventivo também acontece porque elas não sofrem mais ameaça da comunidade

A Secretaria de Educação de Osasco reduziu de 30 para 5 dias, contados a partir de 28 de fevereiro, a suspensão preventiva a professoras envolvidas em casos de negligência em creches municipais.

Os “incidentes”, como foram classificados pela pasta, aconteceram nas creches Ezio Melli e Hilda Alves dos Santos, no final do mês passado. Em uma delas, uma criança foi entregue à mãe cheia de mordidas, que teriam sido desferidas por colegas. Já o segundo caso envolve queimaduras nos pés de um aluno, que teria caminhado sobre “tatames” expostos ao sol no parquinho da unidade.

Segundo a secretaria, o afastamento preventivo resulta de dois motivos: a sobrecarga dos colegas das unidades e o fato das profissionais não estarem mais sofrendo ameaças da comunidade, o que teria acontecido após a divulgação dos casos nas redes sociais.

Já as circunstâncias em que teria ocorrido os dois casos de negligência seguem sendo apurados.