Cotidiano

Calor causou 14 mil mortes na Grande São Paulo

Levantamento foi realizado por instituições brasileiras e portuguesa reuniu dados de 2000 a 2018

A Grande São Paulo, incluindo a cidade de Osasco, registrou 14.850 mortes em decorrência do calor entre os anos 2000 e 2018, segundo um levantamento realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em parceria com a Fiocruz e a Universidade de Lisboa, em Portugal.

Os dados apontam uma média de 825 óbitos relacionados às altas temperaturas por ano dentro do período mencionado.

Eles foram divulgados em reportagem da série “Que tempo é esse?”, da TV Globo, nesta sexta-feira (10). “A ciência mostra que nós estamos caminhando para um aumento médio de temperatura do nosso planeta na ordem de 3°C a 3,5°C. Em áreas urbanas, podemos ter um aumento de 4°C a 4,5°C. Isto vai trazer impactos muito maiores na saúde da população do que a gente está observando hoje”, afirmou, na reportagem, Paulo Artaxo, professor da Universidade de São Paulo e membro da Academia Brasileira de Ciências.