Política

Terceiro dia de julgamento de Moro termina em 3 a 1 contra cassação

Senador responde por abuso de poder econômico na pré-campanha eleitoral de 2022. Julgamento será retomado na terça

A terceira sessão de julgamento das duas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (AIJEs) que pedem a cassação do mandato do senador Sergio Moro (União-PR) terminou, nesta segunda-feira (8), com placar de três votos contra a cassação do mandato e um voto a favor. O processo será retomado nesta terça-feira, dia 9.

Moro e os suplentes, Luis Felipe Cunha e Ricardo Augusto Guerra, respondem por abuso de poder econômico na pré-campanha eleitoral de 2022. O primeiro a votar foi o relator do caso, o desembargador Luciano Carrasco Falavinha Souza. Em 1º de abril, ele foi contra a cassação do mandato. Em 3 de abril, o desembargador José Rodrigo Sade divergiu do relator e votou a favor da perda do mandato. Nesta segunda-feira (8), a desembargadora Claudia Cristina Cristofani acompanhou o voto do relator. Em seguida, o desembargador Julio Jacob Junior pediu vista, ou seja, mais tempo para analisar o caso, e se comprometeu a apresentar o parecer nesta terça-feira. O desembargador Guilherme Frederico Hernandes Denz, que seria o sexto a votar, pediu para adiantar o próprio voto. Ele também acompanhou o voto do relator, contra a perda do mandato.

Moro é acusado de abuso de poder econômico porque durante a pré-campanha eleitoral de 2022 disputaria o cargo de Presidente da República. E só depois mudou o cargo  na Senador, que tem menor limite de gastos. Nesse período, também trocou de partido, do Podemos para o União Brasil.