Política

Mauro Cid é liberado da cadeia por decisão de Alexandre de Moraes

Ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro havia sido preso por desrespeitar regras da delação premiada

O tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro, deixou a cadeia no final da tarde desta sexta-feira (3). Ele foi solto por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mas vai ter que continuar cumprindo uma série de restrições, como usar tornozeleira eletrônica e não se comunicar com outros investigados.

Cid estava detido desde 22 de março, após o vazamento de áudios de uma conversa em que Cid faz ataques à corporação e ao STF. A Justiça entendeu que ele desobedeceu regras da delação premiada ao falar sobre as investigações.

Ele é investigado, junto com Bolsonaro, por suspeita de fraude em cartões de vacinação e por tentativa de golpe de Estado.

Na decisão que concede a liberdade provisória, Moraes também mantém integralmente a delação premiada de Cid, pois, segundo o magistrado, “foram reafirmadas a regularidade, legalidade, adequação dos benefícios pactuados e dos resultados da colaboração, e a voluntariedade da manifestação de vontade” do delator.