Política

Governo federal anuncia mais 112,5 mil moradias do Minha Casa, Minha Vida

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado do vice-presidente, Geraldo Alckmin e ministros, durante anúncio do resultado da seleção do Minha Casa, Minha Vida nas modalidades Rural e Entidades. Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

Serão atendidas pelo programa habitacional pessoas de comunidades tradicionais, indígenas, mulheres e de comunidades rurais, entre outras

O governo federal anunciou a contratação de mais 112,5 mil moradias selecionadas pelo programa  Minha Casa, Minha Vida (MCMV) nas modalidades Rural e Entidades, nesta quarta-feira, 10 de abril.

As duas linhas de atendimento do programa habitacional receberão o total de R$ 11,6 bilhões em investimento e atenderão mais de 440 mil pessoas em áreas tanto rurais quanto urbanas, beneficiando comunidades tradicionais, como quilombolas e povos indígenas, famílias organizadas pelos movimentos de luta por moradia, com prioridade para grupos mais vulneráveis, como mulheres chefes de família, famílias de áreas de risco, entre outros.

“Este é o ano da nossa colheita. Vocês estão fazendo a primeira colheita do primeiro grande lançamento do Minha Casa, Minha Vida, porque a primeira fase foi reconstruir casas que estavam abandonadas desde 2013”, destacou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante o anúncio.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado do vice-presidente, Geraldo Alckmin e ministros, durante anúncio do resultado da seleção do Minha Casa, Minha Vida nas modalidades Rural e Entidades. Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

No âmbito do MCMV Entidades, foram selecionadas 443 propostas de 206 Entidades Organizadoras ligadas aos movimentos de luta por moradia. Já no MCMV Rural, foram aprovadas 2.105 propostas de 1.137 Entidades Organizadoras, que incluem, além dos movimentos de luta por moradia, organizações de agricultores, trabalhadores rurais e entidades públicas locais.

A seleção do MCMV Entidades foi iniciada em julho de 2023 e chegou ao fim com 443 propostas aprovadas, de 206 Entidades Organizadoras, que contemplam mais de 37 mil moradias, distribuídas entre 269 municípios em 22 estados brasileiros.

Ao todo, mais de 148 mil pessoas poderão ser beneficiadas através dessa modalidade. Com um investimento de R$ 6 bilhões, o programa concede financiamento subsidiado a famílias organizadas por meio de entidades privadas sem fins lucrativos para produzir unidades habitacionais urbanas, com recursos do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS).

O público-alvo são famílias com renda mensal de até R$ 2.640, organizadas sob a forma associativa. A subvenção econômica concedida com recursos do FDS às famílias beneficiárias fica entre R$ 130 mil a R$ 164 mil para provisão subsidiada de unidades habitacionais novas em áreas urbanas, a depender da tipologia da construção (apartamento ou casa) e da região.