Brasil

Com temporais e cheias no Sul, governo adia Enem dos Concursos

A ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck. Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

Ainda não há data para aplicação da prova do concurso federal, que soma 6,6 mil vagas em todo o país

O governo federal decidiu adiar as provas do Concurso Nacional Unificado (CNU), popularmente chamado de Enem dos Concursos, que aconteceria neste domingo em cerca de 288 cidades brasileiras. O motivo fora as fortes chuvas que causaram cheias de rios e enchentes na região do Sul do país.

Segundo a ministra da Gestão, Esther Dweck, seria “impossível” a aplicação das provas do Concurso Nacional Unificado (CNU) no Rio Grande do Sul nesta data. Ainda segundo ela, não há previsão de nova data para aplicação das provas, que deve ser definida nas próximas semanas.

“Eu quero deixar bem claro que a gente, nas próximas semanas, poderá divulgar uma nova data, mas nesse momento, toda a questão logística envolvida com a prova não nos permite, hoje, divulgar uma nova data com segurança”, completou a ministra. Esther afirmou que a escolha da nova data depende da situação do Rio Grande do Sul, além da disponibilidade de salas no país e a capacidade de distribuição dos exames pelo país.

Ela afirmou que as provas já haviam sido enviadas para as capitais do país, inclusive em Porto Alegre. E, desde quinta, eram distribuídas para demais cidades dos estados com escolta de forças de segurança. O governo pretende agora recolher as provas para aplicar os mesmos exames. 

O Enem dos Concursos centraliza em uma prova os concursos autorizados para a seleção de servidores públicos em diferentes órgãos do governo federal. São 6.640 vagas em 21 órgãos públicos.