• Hoje é: sábado, junho 12, 2021

Reclamações marcam inauguração da nova Farmácia Municipal, em Osasco

Foto: PMO
portalregiaooeste
fevereiro27/ 2018

Inaugurada pelo prefeito Rogério Lins (PODEMOS) na tarde de segunda-feira, 26, a Nova Farmácia Municipal, em Osasco (SP), já recebeu uma enxurrada de reclamações por meio das redes sociais. Instalada na avenida João Batista, 144, Centro, a unidade passou a ser a responsável pela distribuição de medicamentos controlados e de alto custo. E é justamente a nova localização o principal desencadeador das queixas.

Para muitos usuários a mudança traz mais custos com passagens de ônibus, já que agora precisam sair da Policlínica Zona Norte, onde geralmente acontecem as consultas, para se dirigirem ao Centro. Outros dizem que o local não é apropriado para estacionar veículos.

No mesmo dia, Lins também inaugurou a nova “Praça de Atendimento da Saúde”, espaço destinado ao auxílio e orientação na saúde pública. Com a ação, a administração promete dobrar a capacidade de agendamentos para consultas. Os dois eventos fazem parte do cronograma de realizações em comemoração aos 56 anos de emancipação político administrativa de Osasco.

Queixas se multiplicam nas redes sociais

A nova Farmácia Municipal, segundo a usuária Bruna de Cássia, é pequena e não comportará a demanda para retirar os medicamentos. “Eu não sei se isso vai dar certo. Antes, assim que saíamos da consulta já fazíamos a renovação no mesmo prédio. Agora, serão mais duas passagens de ônibus pra ir até o Centro e renovar. Acho que Osasco tinha outras prioridades. Ao invés de gastar dinheiro com aluguel de galpão, a prefeitura deveria comprar os medicamentos que estão sempre faltando”, disse.

Mirtes Oliveira ainda tinha dúvidas sobre a forma e os horários de atendimento no novo espaço. “Será que vão abrir às 7 horas. Tanta coisa para o prefeito se preocupar. O lugar é muito pequeno e vai ser um tumulto”, afirmou.

Sem saber da mudança, Nick Lima foi à Policlínica e encontrou a unidade de alto custo com as portas fechadas. “Por que não informam? Eu já iria direto renovar medicamentos ou até mesmo retirar! Mas agora temos que ir do Piratininga até o Centro, como se a passagem fosse de graça e todos tivessem tempo pra ficar indo e vindo”, disse.

Algumas pessoas também elogiaram a iniciativa da administração, como Roseli Mazzetto. “Acredito que a mudança foi pensando em facilitar o acesso de todas as pessoas, pois é mais centralizado, tem condução de todos os bairros”, afirmou.

big banner