• Hoje é: terça-feira, julho 16, 2019

Osasco também aderiu à manifestação contra cortes de investimentos na Educação

Júlia-aluna Unifesp-Osasco
Paulo Marcelino
maio15/ 2019

Todos os estados e o DF tiveram protestos convocados por estudantes, movimentos sociais, partidos e sindicatos. Aulas foram suspensas em universidades e escolas.

No alvo dos manifestantes, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação Abraham Weintraub. Em São Paulo, a organização dos atos fala em mais de 100 mil pessoas na avenida Paulista.

OSASCO

No Calçadão de Osasco, por volta das 12h, os manifestantes realizaram um ato com falas de professores e alunos do campus da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), além de dirigentes dos Sindicatos dos Professores das Redes de Ensino Públicas e Privadas -Sinprosasco-, Apeoesp, Apos, Sinpemor e Sintrasp.

Também participaram do ato, representantes sindicais de outras categorias de trabalhadores que apoiam os Educadores. Em seguida, o grupo foi para o Masp, na avenida Paulista, onde aconteceram as grandes manifestações contra o corte de verbas na Educação.

Entre os presentes no ato em Osasco, o professor Onassis, presidente do Sinprosasco.

Segundo a aluna da UNIFESP, Júlia Fernandes, que cursa Relações Internacionais, foi aprovado em Assembleia realizada no Campus Osasco, que o ministro da Educação não representa a “comunidade discente”. Abraham Weintraub, já lecionou na UNIFESP Campus-Osasco.

Prof Onassis.presid Sinpro-Osasco

big banner