• Hoje é: quinta-feira, maio 13, 2021

Operação Caça-Fantasmas do MP prende 11 vereadores em Osasco

Camara Osasco
José Bento da Silva
dezembro06/ 2016

Em mais uma fase da Operação Caça-Fantasmas, o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Osasco cumpriu, na manhã desta terça-feira, 11 mandados de prisão preventiva contra vereadores de Osasco, acusados de manter funcionários fantasmas. Estão detidos na Delegacia Seccional de Osasco, aguardando transferência para Centros de Detenção Provisória, o presidente de Câmara, Jair Assaf, e ainda dos vereadores Antônio Toniolo, Josias da Juco, Andre Sacco, Alex da Academia, Rogério Silva, Batista Comunidade, De Paula, Valdomiro Ventura, João Gois e Maluco Beleza.

Além disso, foram expedidos mandatos contra o vereador Rogério Lins, prefeito eleito de Osasco, e a vereadora Karen Gaspar, que não foram detidos por estarem viajando. E ainda contra a vereadora Andrea Capriotti, que internada na UTI do Hospital Sino Brasileiro, após ter sofrido acidente de carro, na noite de domingo. Ela ficará sob escolta na unidade de saúde.

Segundo o MP, desde que foi deflagrada, em agosto de 2015, a operação, voltada para desestruturar um esquema funcionários fantasmas e captação de dinheiro de parte do salário dos assessores dos vereadores, já conta com 117 volumes de investigação. Até agora, 73 mandados de busca foram cumpridos. A denúncia foi oferecida nesta semana contra 217 pessoas, entre vereadores, assessores e fantasmas. Mais de 200 pessoas foram afastadas de seus cargos cautelarmente pela Justiça, a pedido do Ministério Público de São Paulo. Segundo estimativa do Gaeco de Osasco, coordenado pelo promotor de Justiça Gustavo Albano, o esquema desviou R$ 21 milhões.

big banner