• Hoje é: quinta-feira, dezembro 5, 2019

O que significa a troca de ministro da Educação: melhora ou piora a situação?

x82101490_SOCO-novo-ministro-Abraham-Weintraub.jpg.pagespeed.ic.6RimGVdUHE
Jucelene Oliveira
abril13/ 2019

Texto: Diretoria Sinprosasco

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sinalizou na última sexta-feira, 05, que a permanência do então ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, seria decidida esta semana. Em analogia ao casamento, ele disse que ainda estava “noivo” do ministro e na próxima segunda poderia decidir manter a aliança na mão direita, passá-la para a mão esquerda ou colocá-la na gaveta.

E como já era esperado, na manhã de segunda-feira, 8/04, Bolsonaro anunciou a demissão de Vélez e sua substituição por Abraham Weintraub. A publicação no Twitter:

“Comunico a todos a indicação do Professor Abraham Weintraub ao cargo de ministro da Educação. Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta. Aproveito para agradecer ao Prof. Velez pelos serviços prestados”. Jair Bolsonaro.

Colombiano naturalizado brasileiro, Vélez colecionou polêmicas em três meses. Ele sofria críticas pela maneira como vinha conduzindo a pasta, em meio a disputas políticas internas, e por protagonizar medidas polêmicas junto à opinião pública, como o pedido de gravação de crianças cantando o hino nacional em escolas com o posterior envio dos filmes ao governo federal.

Ele é também o segundo ministro a ser exonerado antes dos 100 primeiros dias do governo Bolsonaro, completados na última quarta-feira, 10. O primeiro foi Gustavo Bebbianno (PSL), ex-chefe da Secretaria-Geral da Presidência e um dos principais articuladores da campanha eleitoral do atual presidente. Bebianno foi exonerado em 19 de fevereiro após divergências políticas com Bolsonaro e ataques sofridos nas redes sociais por um dos filhos do presidente, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSC).

Quem é Abraham Weintraub
Após assumir o ministério da Educação, Abraham Weintraub passou a ser “avaliado” por especialistas sobre ser ou não uma boa opção para a pasta. Professor da Unifesp, é também economista e já integrava o governo de Bolsonaro. Trabalhava como secretário-executivo da Casa Civil, cargo número 2 da pasta chefiada por Onyx Lorenzoni. Antes, atuou na equipe de transição e, junto com o irmão, Arthur Weintraub, ajudou a elaborar as propostas do governo para a Previdência.

De acordo com matéria publicada pelo jornal El País, o atual ministro é um professor universitário que se coloca contra o “marxismo cultural”, tratando seus opositores como inimigos. Ele é também especialista em Previdência social, passou pelo mercado financeiro, mas nunca gerenciou nada na área educacional.

Ao lado de seu irmão, o advogado e professor Arthur Weintraub, administrou o Centro de Estudos em Seguridade e prega a bandeira ideológica e conservadora do Governo Bolsonaro.

Artigo publicado no Blog do Josias diz que Weintraub “avaliou que universidades do Nordeste não deveriam oferecer cursos de disciplinas como sociologia e filosofia”. Para ele, esses estabelecimentos deveriam priorizar o ensino de agronomia, “em parceria com Israel.”

De acordo com o texto do blog, Weintraub defendeu seu ponto de vista numa transmissão ao vivo, pela internet, em setembro do ano passado. Na ocasião, ele integrava a equipe que elaborou o programa de governo de Bolsonaro. Discutia a peça com Luis Philippe Bragança, hoje deputado federal pelo PSL de São Paulo.

A certa altura, o agora ministro da Educação declarou: “Eu vi aqui alguns comentário do Nordeste. O plano de energia é Nordeste na veia. O plano de energia que a gente tá fazendo, fotovoltáico e eólico, é porrada no desemprego. Rápida geração de renda. E é Nordeste, por causa da questão solar.” Ele prosseguiu: “Em Israel, o Jair Bolsonaro tem um monte de parcerias para trazer tecnologia aqui para o Brasil. Em vez de as universidades do Nordeste ficarem aí fazendo sociologia, fazendo filosofia no agreste, [devem] fazer agronomia, em parceria com Israel. Acabar com esse ódio de Israel. Israel, nas faculdades federais, é loucura o que você escuta, né?”

Josias avalia que “a ideia de privar estudantes nordestinos de determinados cursos é tão radioativa quanto outra tese que ajudou a compor o caldeirão de polêmicas que dissolveu a gestão do demitido Ricardo Vélez”. O antecessor de Weintraub declarou que “universidade, do ponto de vista da capacidade, não é para todos. Somente algumas pessoas que têm desejo de estudos superiores e que se habilitam para isso entram na universidade.”

A revista Carta Capital destaca que “Assim como o antecessor, Weintraub acredita que as teorias do astrólogo Olavo de Carvalho são a ponta de lança na luta contra o “comunismo” e o “marxismo cultural” nas universidades.”

De acordo com a revista, no fim do ano passado, ele e o irmão contaram na Cúpula Conservadora das Américas como as ideias de Olavo de Carvalho os ajudaram a enfrentar o comunismo nas universidades. Em meio a uma explanação econômica e política, ele defendeu o modus operandi do filósofo. “A gente tem que ser mais engraçados que os comunistas, a gente tem que ganhar a juventude. Como ganha a juventude? Com humor e inteligência.”

E continuou “A gente tem a técnica de vencer eles, a gente é a prova disso. A gente adaptou a teoria do Olavo de Carvalho de como enfrentar eles no debate intelectual”, disse. O irmão Arthur completou: “O Brasil é a salvação do mundo. Teve uma onda evangélica e você teve os olavetes, juntou monarquistas e tal. E o Brasil conservador cristão conseguiu dar o primeiro sopro de contrarrevolução contra os comunistas. O comunismo é um vírus, ele vai se alastrando.”

A adesão à campanha de Bolsonaro rendeu problemas aos dois irmãos na universidade onde lecionam. Eles foram alvo de processos administrativos e criticados pelo centro acadêmico. No ano passado, Arthur chegou a processar alunos que os chamaram de fascista.

Para saber mais, acesse nosso site: http://www.sinprosasco.org.br e nos siga nas redes sociais: https://www.facebook.com/sinprosasco/ e https://www.instagram.com/sinprosasco/. Adicione seu número nos nossos grupos de WhatsApp.

big banner