• Hoje é: quarta-feira, outubro 28, 2020

Mercadante segue como Ministro da Educação

Mercadandte
portalregiaooeste
março15/ 2016

Depois da reunião com a presidente Dilma Rousseff nessa terça-feira (15), o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou em entrevista coletiva que permanece no governo. Ele foi citado numa delação do senador Delcídio Amaral (PT-MS), que o acusou de oferecer vantagens para que não ajudasse na investigação da Lava Jato. Revelou que a gravação publicada na revista Veja, foi editada e tomará medidas contra Eduardo Marzagão, assessor de Delcídio Amaral, por sua atitude mal intencionada ao gravar as conversas. “Foi um gesto de solidariedade meu, não do governo. A responsabilidade é inteiramente minha”, disse Mercadante.

O ministro se dispôs a colaborar com as investigações sempre que requisitado pela Procuradoria Geral da República. E se mostrou despreocupado quanto à delação de Delcídio. “Ele tentou me envolver na defesa jurídica dele e eu disse que só seria possível encontrar saídas dentro da legalidade”, afirmou o ministro.

Mercadante explicou que o fato de as filhas do senador sofrerem ataques na internet o indignou e o motivou a ajudar. “Os valores que me inspiraram foram o da solidariedade e do companheirismo num momento de tragédia pessoal vivido pelo Delcídio”, finaliza.

A denúncia
O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) entregou ao Ministério Público Federal (MPF) gravações de dois encontros realizados, em dezembro de 2015. Um deles com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e o outro com a assessora do ministro. As informações constam do Termo de Colaboração Premiada nº 5 firmado entre o senador e o MPF.

De acordo com o documento, ao ser informado por Eduardo Marzagão, assessor de Delcídio, que a família do senador passava por problemas financeiros, o Mercadante ofereceu ajuda à família para arcar com custos de advogados através da empresa ligada ao PT. O ministro também teria proposto interceder junto aos presidentes do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, e senador Renan Calheiros. Delcídio disse que Mercadante teria agido como emissário da presidente da República, Dilma Rousseff.

Via 247

big banner