• Hoje é: domingo, dezembro 16, 2018

Lins anuncia mudança de secretários, muda de ideia e cancela tudo

Flickr Secom
portalregiaooeste
novembro13/ 2018

Enquanto a população espera a tão falada mudança de secretariado anunciada para o final do segundo turno das eleições de 2018, tudo indica que o prefeito de Osasco, Rogério Lins (Podemos) está isolado e tem enfrentado sérias dificuldades para encontrar nomes para compor seu primeiro escalão. A confusão é tão grande, que na última segunda o prefeito convocou a imprensa para uma coletiva que seria realizada na terça, 13, às 9, com o objetivo de anunciar as alterações em seu grupo, porém, menos de 5 horas depois, ele muda de ideia e cancela tudo.

O cancelamento do evento esquentou os bastidores políticos da cidade, que davam como certa a mudança de vários nomes, principalmente, do titular da Secretaria da Saúde, José Carlos Vido (PSDB), que não vem agradando os usuários da rede pública e nem tão pouco seus companheiros de partido. Desde que assumiu a pasta, a atuação de Vido vem sendo questionada, e seu nome frequentemente ligado a trocas, porém ao longo desses quase dois anos, o único que não caiu e se mantem firme na administração é o próprio. Dois profissionais chegaram a ser cogitados para a pasta, os médicos Egídio Malagoli, atual superintendente da Maternidade Amador Aguiar e João de Deus Santos Júnior, ex-secretário de Saúde de Vargem Grande Paulista. Nada confirmado até o momento.

Outro assunto é a dificuldade de Lins de encontrar profissionais dispostos a associar seu trabalho à sua gestão. Em agosto, quando anunciou a chegada do engenheiro Aguinaldo Lopes Quintana Neto, na Secretaria de Habitação, o prefeito citou o problema, foram 45 dias e seis entrevistas para alguém aceitar.

Mas os problemas começaram em abril deste ano, em razão do período eleitoral. Na época, Lins mudou os titulares de Relações Institucionais, da qual saiu Gelso de Lima e entrou Sérgio Di Nizo; na Secretaria de Esportes, Délbio Teruel deu lugar a Carmônio Bastos; na Educação, Ana Paula Rossi se afastou e foi substituída por José Toste; e na Administração, assumiu Soleni Oliveira Pereira.

Mas as dificuldades no primeiro escalão não param por aí. Troca-troca é frequente, assim como as confusões envolvendo seus secretários e os pedidos para desembarcar da administração. Em julho passado, a secretária de Comunicação Renata Poletti de Sousa, proprietária da empresa Rango Publicidade LTDA, foi condenada por improbidade administrativa e deverá ressarcir a Prefeitura de São Caetano do Sul. A decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo no processo 1004268-78.2016.8.26.0565 código 9174438 sobre irregularidades em contrato firmado, em 2016, com a administração pública, foi publicada dia 25. Ela se mantém no cargo.

Antes disso, 4 secretários haviam desembarcado da gestão em menos de 2 meses. O último teria sido Franz Felipe, agora ex-secretário de Comunicação de Osasco, que teve sua exoneração publicada na edição de 16 de julho, da Imprensa Oficial do Município. Em julho, o arquiteto Angelo Melli também partiu em retirada da pasta da Habitação e Desenvolvimento Urbano. O motivo da saída não foi divulgado.

O primeiro a abandonar o barco foi Valdeci Magdaleno que não aguentou a pressão e pediu para sair da Secretaria de Segurança e Controle Urbano, depois foi Rafael Paes, Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Osasco, trocou a Sica (Secretaria de Indústria e Comércio) pela Fecomércio, na sequência Melli que alegou motivos pessoais e deixou a Habitação.

big banner