• Hoje é: sábado, junho 12, 2021

Lindoso pagou R$10 mil de propina a Libânia

Foto: reproducao
portalregiaooeste
outubro25/ 2017

Osasco enfrenta mais um escândalo político. Desta vez, estão no olho do furacão o presidente da Câmara Municipal de Osasco, vereador Elissando Lindoso, e a presidente da OAB/Osasco, Libânia Aparecida da Silva.

Ela foi presa em flagrante, junto com o marido, por ter extorquido o vereador. Em encontro entre o casal, em um restaurante de São Roque, na noite de terça-feira, Lindoso pagou R$2 mil para que ela não apresentasse denúncias, contra seu mandato, ao Ministério Público. Mas o jantar foi armado pelo presidente da Câmara, que havia acionado a polícia, horas antes. Assim que saiu do restaurante, Libânia foi abordada por investigadores, que flagraram um envelope com R$2 mil, em sua bolsa. As notas que seriam entregues por Lindoso foram copiadas e correspondiam à mesma série das que estavam com a advogada.

O vereador também afirmou à polícia que vinha sendo extorquido há cerca de um mês e meio e apresentou gravações do marido de Libânia, Carlos Gomes, pedindo dinheiro. O casal também queria cargos no gabinete. Além disso, em boletim de ocorrência registrado na Delegacia de São Roque, ele afirma que já havia pago outros R$10 mil ao casal.

Na tarde desta quarta-feira, Lindoso convocou uma entrevista coletiva, mas pouco esclareceu sobre o caso. Se dizendo “vítima” de Libânia, ele afirmou que todas as informações estavam no boletim de ocorrência. Já sobre os R$10 mil, alegou que fez o pagamento ao marido da advogada, que vinha conduzindo as negociações, para “chegar até ela”.

Libânia havia feito duas acusações públicas contra o presidente da Câmara. Em uma delas, questionou a realização de licitação para locação de veículos destinados aos vereadores. E em outra, que seria o alvo da extorsão, apontava que Lindoso vinha pagando, desde março, R$37 mil mensais de aluguel, de um imóvel ao lado da Câmara, para abrigar os gabinetes dos vereadores, mas que o prédio não era usado.

Ela teve prisão preventiva decretada, assim como o marido. Segundo a OAB-SP, a subseção Osasco segue funcionando normalmente.

big banner