• Hoje é: quinta-feira, dezembro 2, 2021

Furlan anuncia tratamento de câncer em Barueri e fim da fila de espera por cirurgias

Furlan
portalregiaooeste
dezembro11/ 2016

Diplomado prefeito de Barueri para a gestão 2017-2020, Rubens Furlan já tem traçadas as primeiras medidas que tomará após a posse, em 1º de janeiro. A prioridade será a Saúde, conforme detalhou em entrevista após a cerimônia de diplomação, realizada na tarde desta sexta-feira, na Câmara Municipal.

Garantir que o Hospital Municipal funcione com 100% de sua capacidade – sob nova gestão – e criar, em unidade anexa, um centro de tratamento contra o câncer, com radioterapia e quimioterapia, estão entre as medidas que serão adotadas. “Vamos transformar nosso hospital no melhor do Estado de São Paulo. Além disso, o prédio que foi construído em frente a ele, para abrigar convenções de saúde, será totalmente equipado para oferecer quimioterapia e radioterapia. Hoje, os pacientes da cidade têm que ir até a Capital para fazer esse tipo de tratamento e acabam sofrendo muito mais. Vamos passar a oferecer tudo aqui em Barueri, coligado com os atendimentos do hospital”, detalhou.

Ele afirma ainda que não vai economizar recursos nesse sentido. “Já me disseram que um dos equipamentos necessários para o tratamento custa R$5 milhões. E eu mandei encomendar. Vamos ter o que há de melhor. Porque uma cidade com orçamento de R$2,4 bilhões, como Barueri, não pode regular atendimento ao povo”, completou. Já quanto ao próprio hospital, Furlan garante que, ao adotar um funcionamento com 100% de sua capacidade, será possível zerar a fila de espera por cirurgias, que hoje conta com cerca de 1,5 mil pacientes. “Fiz um levantamento e temos capacidade de regular 50 cirurgias simples em um prazo de 24 horas. Então, podemos fazer essas 1,5 mil cirurgias em 30 dias, se trabalharmos também sábado e domingo. Vamos ter o hospital funcionando 24 horas por dia, com todos os centros cirúrgicos”, completou.

Outro tema abordado por Furlan foi a atua crise econômica vivida no País. Ele criticou os desentendimentos entre os poderes Judiciário Legislativo, que, segundo o prefeito eleito, contribuem para esse quadro. “O Judiciário e Legislativo não têm o direito de alimentar uma crise institucional. Temos que acabar com a crise para combater o desemprego”, defendeu, afirmando ainda torcer por uma solução a curto prazo para as denúncias que atingem a classe político. “Essa delação premiada da Odebrecht, por exemplo, tem que vir rapidamente a público. Todos que tiverem que ir para a cadeia, que vão. Assim, o País vai acabar logo com isso e focar na melhoria da economia, porque vai começar a surgir novos empregos, riqueza e o brasil vai avançar. Acredito na equipe econômica do presidente Michel Temer.

Mas com clima que o Brasil vive hoje, não há ambiente para que a política econômica prospere”, opiniou. Ele evitou, no entanto, comentar a citação do governador Geraldo Alckmin, seu colega de partido, na delação da empresa. “Só garanto para vocês que eu não estou na delação premiada”, brincou.

big banner