• Hoje é: segunda-feira, agosto 8, 2022

Em Osasco, Genoino defende a reforma política e explica o papel dos partidos no Brasil

Foto reprodução
portalregiaooeste
março06/ 2018

O ex-deputado federal José Genoino (PT) esteve em Osasco no dia 5 de março para ministrar a sexta aula do curso “Brasil: Política, Economia e Sociedade no Século XXI”. O tema foi “Reforma política, democracia e o papel dos partidos brasileiros”. O curso é uma inciativa da subsede da CUT-SP em Osasco, em parceria com o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região.

Na primeira parte, Genoino discorreu sobre a construção dos regimes democráticos e importância destes para que as sociedades desenvolvam plenamente suas potencialidades, garantindo os direitos de uma cidadania plena. No Brasil, destacou o processo constituinte, a elaboração e promulgação da Constituição Federal de 1988 como um marco da democracia. O problema, segundo disse, é não colocar em prática boa parte do que está determinado na Constituição.

O avanço da democracia no Brasil e no mundo, conforme Genoino, está diretamente ligado ao desenvolvimento das lutas sociais e ao surgimento dos partidos políticos de esquerda. Fundado em 1980, o PT, segundo o ex-deputado, foi o primeiro partido que desenvolveu e aplicou no Governo Federal, durante as gestões de Lula e Dilma, um projeto que representa a defesa dos direitos da população.

Com dados, mostrou que o período de 2003 a 2016 foi de afirmação e conquistas de diversos direitos sociais, especialmente para os mais pobres. Isso ocorreu porque o PT, segundo ele, renovou a gestão pública e o estado brasileiro, produzindo um crescimento econômico, com inclusão social e aumento da renda dos trabalhadores.

Reforma Política

Debatida há mais de duas décadas, a reforma política, conforme Genoino, é fundamental para o país. Explicou que, por meio dela, será possível aprimorar o sistema e a representação política no Brasil. Defendeu a adoção da lista fechada, com os eleitores votando no partido e não nos candidatos, e o financiamento público das campanhas eleitorais. E também a reestruturação do sistema partidário, reduzindo a quantidade de legendas e estimulando a existência de partidos verdadeiramente ideológicos.

Na parte final da aula, criticou a atual judicialização da política e a usurpação da justiça por setores do Poder Judiciário que desrespeitam a Constituição Federal e afrontam o estado democrático de direito. Defendeu o direito de Lula ser candidato a presidente e a necessidade do PT e dos partidos de esquerda fortalecerem a união com os movimentos populares e sindicais. Só assim, conforme Genoino, será possível combater a agenda antipopular do governo Temer.

As aulas do curso, abertas aos interessados, são realizadas semanalmente, das 19h às 22h, no auditório da sede do Sindicato dos Bancários, em Osasco (Rua Castelo Branco, 150).

big banner