• Hoje é: domingo, julho 3, 2022

Dilma afirma que Lula fortalece seu governo

Brasília - DF, 17/03/2016. Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de posse dos novos Ministros de Estado Chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva; da Justiça, Eugênio Aragão; da Secretaria de Aviação Civil, Mauro Lopes e do Chefe de Gabinete Pessoal da Presidenta da República, Jaques Wagner. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
portalregiaooeste
março17/ 2016

Em sua primeira entrevista coletiva após ter sido anunciada a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil, a presidente Dilma Rousseff afirmou que ele terá compromisso com o equilíbrio fiscal e o controle da inflação.

Ela também fez questão de destacar que Lula seguirá investigado e que a nomeação não afeta os rumos da Operação Lava Jato. Além disso, alfinetou a imprensa ao responde ser ele atuaria como uma espécie de “primeiro-ministro”, enfraquecendo seu governo. “Tem seis anos que vocês [jornalistas] tentam me separar do Lula. A minha relação com o Lula não é uma relação de poderes ou superpoderes. A minha relação com Lula é uma sólida relação de quem constrói um projeto juntos. Então o presidente Lula, no meu governo, terá os poderes necessários para nos ajudar, para ajudar sobretudo o Brasil. Tudo o que ele puder fazer para ajudar o Brasil será feito”, afirmou a presidente.

Ela ainda completou: “Vamos falar a verdade. A vinda do Lula para meu governo fortalece meu governo, e tem gente que não quer ver ele fortalecido. Sinto muito. Ele vem, ele vai ajudar. Nós vamos olhar a questão da retomada do crescimento, da estabilidade fiscal e do controle da inflação”, reforçou.
No caso do compromisso de Lula com o mercado fiscal, Dilma deixou ainda um recado ao mercado. “O presidente Lula tem uma trajetória que eu reputo muito expressiva também pelo seu compromisso pela estabilidade fiscal e controle da inflação. Compromisso esse que não é um compromisso meramente retórico, ele se expressa numa situação muito significativa, que é a atuação ao longo dos oito anos do governo dele”, disse.

Além disso, negou que haja novas trocas ministeriais. “Não saem nem o ministro Nelson Barbosa [Fazenda] nem o ministro Tombini [Banco Central]. Pelo contrário. Eles estão mais dentro do que nunca. Tem coisa que está um pouquinho acima no noticiário especulativo”, afirmou a presidente. Lula assume a Casa Civil no lugar de Jaques Wagner, que passa a ocupar a chefia do Gabinete Pessoal da Presidência da República. A posse será na próxima terça-feira, dia 22.

big banner