• Hoje é: sábado, setembro 26, 2020

Cerca de 500 mil lotam a Paulista contra o golpe e em defesa da democracia

avenida-lotada
portalregiaooeste
março19/ 2016

O ato em defesa da democracia, contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff e também em favor do ex-presidente Lula lotou a avenida Paulista, em São Paulo, durante a tarde e noite desta sexta-feira, dia 18. Foram 380 mil participantes, segundo os organizadores, e 80 mil, de acordo com a PM.

Ovacionado pelos presentes, o ex-presidente disse em discurso que voltou ao governo não para brigar, mas para ajudar a presidente Dilma Rousseff a fazer o que tem que ser feito no Brasil. Além de se manifestarem em defesa da presidente Dilma e do ex-presidente Lula, os manifestantes gritaram palavras de ordem e exibiram cartazes contra a TV Globo e juiz Sergio Moro, que comanda as investigações da Operação Lava Jato.

No pico da manifestação, 11 dos 23 quarteirões da Paulista estavam ocupados. Pela manhã, a PM dispersou o ato contra o governo federal iniciado na quarta-feira, quando Lula foi nomeado Ministro da Casa Civil, e que fechou a Paulista por 39 horas.

Lula chegou ao local por volta de 19h, subiu no carro de som e fez discurso inflamado. “Democracia não é um direito morto. O povo não quero que democracia seja apenas uma palavra escrita”, disse.

Ele também lembrou que sempre respeitou os resultados nas urnas. “Eu perdi eleição em 1989, em 1994, em 1998. Já tinha perdido em 1982 para o governo de São Paulo. Em nenhum momento vocês viram eu ir para a rua protestar contra quem ganhou.” Em certo momento, Lula olhou para o público e gritou: “Não vai ter golpe!”.

big banner