• Hoje é: sábado, fevereiro 24, 2018

Volta às aulas é marcada por abandono das escolas municipais de Osasco

Emef Luiz Bortolosso
portalregiaooeste
fevereiro07/ 2018

Aproximadamente 68 mil alunos de educação infantil, ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA) voltaram às aulas nesta terça-feira, dia 6. Os pais que levaram os filhos à escola foram surpreendidos com a situação de abandono que estão as unidades.

Atrasos na entrega de material escolar e uniformes não são mais novidades da gestão do prefeito Rogério Lins, mas a falta de manutenção nas escolas deixou grande parte dos responsáveis pelas crianças da rede municipal apreensivos. Além dos riscos com a segurança, o mato e a sujeira nas dependências das escolas trazem riscos a saúde dos alunos, tornando-se locais férteis a proliferação de mosquitos em pleno período de epidemias em todo território nacional, fora a possibilidade de animais peçonhentos como os já registrados na City Bussocaba.

“Absurdo é você levar seu filho pra estudar em uma escola que se encontra nesse estado, mato alto, o parquinho todo enferrujado e com muito mato, buraco onde as crianças passam, podendo ocorrer acidente, o parquinho que tem dentro da escola virou um enorme banheiro de gato porque tem muita areia, sem contar que eu presenciei criança brincando pipa caiu na escola e a mesma criança passou pelo vão do muro, ou seja, do mesmo jeito que entra uma, sai uma também”, desabafou Tatiane Camparine por meio das redes sociais, ao se deparar com a situação da EMEI Prof. Antônio José Paulino do Jardim Bandeiras.

No Rochdale, na EMEF Luiz Bortolosso, a preocupação dos pais é com a estrutura da escola, já que as paredes e tetos estão com rachaduras por toda a unidade e o toldo que deveria proteger a entrada das crianças em dias de chuvas está totalmente danificada. Moradores já reclamaram durante o ano de 2017, mas passaram as férias e nada foi feito para receber os alunos em melhores condições para o ano letivo de 2018. Simone Freitas questiona o prefeito Rogério Lins e dispara: “Onde está? Por que não viu a situação da Emef Luiz Bortolosso cheia de rachaduras, como confiar deixar nossos filhos num lugar assim?”.

Tantas outras unidades pela cidade estão na mesma situação, um ano de gestão deveria ser suficiente para saber que a manutenção da cidade tem que ser constante, para além das construções e projetos novos.

big banner