• Hoje é: quinta-feira, agosto 16, 2018

Planejamento e políticas de inclusão para o desenvolvimento econômico do País

Marcio Pochmann
portalregiaooeste
abril11/ 2018

A décima primeira aula do curso “Brasil: Política, Economia e Sociedade no Século XXI”, promovido pela Subsede da CUT-SP em Osasco, em parceria com o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. Realizada no dia 09 de abril, teve como tema “Planejamento e políticas públicas para avançar o desenvolvimento econômico com inclusão social”, ministrado por Márcio Pochmann, economista e professor da UNICAMP.

Pochmann destaca o desenvolvimento do Estado de bem estar social, especialmente na Europa após a segunda guerra mundial, como um exemplo de sucesso na gestão estatal, que foi orientada para melhorar a qualidade de vida da população.

Defende a primazia do público sobre o privado e do coletivo sobre o individual, de modo a favorecer a formação de sociedades verdadeiramente democráticas, política, econômica e socialmente viáveis. Critica fortemente o poder atual do capital financeiro e das gigantescas corporações transnacionais, que controlam os fluxos de capitais e concentram riqueza e poder econômico e político em todo o globo.

Refletindo sobre o caso brasileiro, Pochmann destaca a importância da Constituição Federal de 1988, como um marco positivo que forneceu novas bases legais, orientadas para as garantias dos direitos sociais. E reorientou o planejamento e a importância da boa administração pública, nos três níveis de poder: federal, estadual e municipal, tornando obrigação legal a transparência e participação popular na gestão pública.

No caso da administração estatal no Brasil, considera como ótima experiência o modo petista de governar, que se caracterizou pela inversão de prioridades de governo, priorizando os investimentos públicos nas áreas sociais, a transparência nos atos administrativos e o estímulo à participação popular na gestão pública, com programas de sucesso como o Orçamento Participativo.

Pochmann defende a ideia de reformas sistemáticas para melhorar o Brasil. Para ele é urgente no país uma reforma tributária, que alivie a carga sobre os pobres e aumente os impostos dos mais ricos, e uma reforma política que fortaleça os partidos ideológicos e garanta a participação da população nas decisões estatais. Alerta para a necessidade de democratizar os meios de comunicação social e de massa no país.

As aulas do curso, abertas aos interessados, são realizadas semanalmente, das 19h às 22h, no auditório da sede do Sindicato dos Bancários, em Osasco (Rua Castelo Branco, 150).

big banner