• Hoje é: quarta-feira, setembro 19, 2018

“Passaporte para Osasco”, de Rui de Souza tem exibição gratuita

Grevistas são rendidos e presos na desocupação da Cobrasma pelo Exército
portalregiaooeste
março20/ 2018

Ao final da apresentação do documentário que resgata a greve dos metalúrgicos de 1968, haverá mesa de debate

 

 

Na sexta, 23 de março, às 18h30, será realizada a projeção do documentário “Passaporte para Osasco”, de Rui de Souza, sobre a greve dos metalúrgicos de Osasco de 1968. Depois da apresentação, haverá mesa de debates com Marta Rovai (Unifal), Murilo Leal (Unifesp) e Stanislaw Szermeta, metalúrgico grevista do Grupo Cobraseixos. O evento acontece na sede do Sindicato dos Químicos Unificados, Regional Osasco, localizado na Praça Joaquim dos Santos Ribeiro, 265, km 18. A apresentação é uma realização do Sindicato, do Intersindical e Instituto Zequinha Barreto.

O filme resgata a história da resistência ao regime militar imposto em 1964, vivenciada pelo movimento operário-estudantil de Osasco, passando pela morte do operário em uma caldeira, mobilizando os operários por seus direitos; a criação da Frente Nacional do Trabalho, da comissão de fábrica e do Círculo Estudantil, no ano de 1962; a vitória da chapa Verde de oposição para o Sindicato dos Metalúrgicos, em 1967; o enfrentamento no 1º de Maio na Praça da Sé em 1968 e a Greve de Osasco em 16 de julho daquele ano – permaneceram como memória de seus protagonistas, sob interdição da ditadura militar, veio o cárcere com as torturas, a desestruturação familiar, a solidão e o exílio.

Mais do que a paralisação e o confronto com o regime militar em 1968, as decorrências existenciais e emocionais na vida dessas pessoas, transformou o evento tão curto, no tempo cronológico, intenso e longo na trajetória de vida. Seu significado se estendeu a antes e depois dele e apresentou-se como traumática ferida, individual e coletiva, não curada.

O documentário não deixa de ser uma homenagem à geração de 68 em Osasco, em particular a José Ibrahim, o jovem líder sindicalista que ousou organizar um movimento de trabalhadores e semear a esperança de uma sociedade mais justa, igualitária e fraterna.

Enfim o filme é um anseio de vários artistas, intelectuais e operários de Osasco.

 

FICHA TÉCNICA:

PASSAPORTE PARA OSASCO

Documentário, Osasco (SP), PB/COR, Hi8Dig., 90 min., 2016

Classificação Etária: 12 anos.

Realização:

Cineclube Alto do Farol – Cineclube Kinopheria – Centro Cineclubista de São Paulo

Produção, Roteiro e Direção:

Rui de Souza

Produção Executiva:

Rita de Cássia Cunha – Marco Antônio Melo

Assistente de Produção:

Ivone Andrade de Souza

Ana Alexandria

Fotografia, Câmera e Edição:

João Brito Neto

Musica tema:

Alcides Neves (Voz e Violão)

Trilha Sonora:

Banda La Carne com a música “Granada”

Identidade Visual:

Juçara Rodrigues

Apoio:

Comissão Municipal da Verdade de Osasco

big banner