• Hoje é: sábado, setembro 21, 2019

Osasco e Carapicuíba estão no ranking de vítimas fatais da polícia

Policia
portalregiaooeste
março16/ 2016

Osasco e Carapicuíba estão entre as 17 cidades paulistas que concentram 81% das mortes praticadas por policiais durante o ano de 2014. Inédito, esse detalhamento da letalidade policial por município foi obtido por meio da Lei de Acesso à Informação, em solicitação da pesquisadora Samira Bueno, da Fundação Getúlio Vargas. E divulgado, esta semana, pela BBC.

Os números são baseados nos boletins de ocorrência da Polícia Civil. E mostram ainda que, entre 2013 e 2014, o total de assassinatos praticados por policiais subiu 82,4% em todo o Estado, enquanto o número de homicídios em geral teve queda de 3,3% no mesmo período.

Também fazem parte dessa lista São Paulo, Campinas, Guarulhos, Santo André, Diadema, São Bernardo do Campo, Jundiaí, Sorocaba, Itaquaquecetuba, Ribeirão Preto, São José dos Campos, Guarujá, Mauá, Mogi das Cruzes e Praia Grande. Juntas, essas cidades representam 49% da população, 51% dos homicídios e 75% dos roubos no período.

O levantamento aponta ainda que, em Osasco, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes caiu 29% de 2013 para 2014 enquanto as mortes causadas por policiais saltaram 265% no período. Já em Carapicuíba, embora a taxa de homicídios tenha crescido 9%, a letalidade policial saltou 297%, passando de 1 por 100 mil para 4,1. Em números absolutos, Osasco registrou 33 mortes em decorrência de ação policial em 2014, número que representou 53% do total de homicídios na cidade naquele ano.

Essas estatísticas não incluem a chacina de agosto de 2015, que deixou 16 mortos na cidade – além de três em Barueri, no mesmo dia. Investigações apontaram PMs e guardas municipais como principais suspeitos da morte, que teriam acontecido em vingança ao assassinato de colegas, durante assaltos, dias antes, nas duas cidades.

big banner