• Hoje é: segunda-feira, novembro 20, 2017

Na volta a Osasco, mais de 500 pessoas recepcionam João Paulo Cunha

JP em Osasco 08
portalregiaooeste
março20/ 2016

“Vamos reverter esse jogo apesar do momento difícil”, afirmou o ex-presidente da Câmara dos Deputados , sobre o atual momento político e econômico do país.

De calça jeans desbotada, polo azul marinho e tênis, o ex-deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) chegou ao Clube Dablam, zona Sul de Osasco, na manhã deste domingo, onde foi recepcionado de forma calorosa por mais de quinhentas pessoas, entre elas, amigos, familiares, militantes, lideranças sindicais e políticas de Osasco e região e também de cidades do interior de São Paulo, que participaram do encontro denominado “Ato Em Defesa do Brasil”. A atividade foi organizada por amigos do deputado.

O ex-presidente da Câmara dos Deputados retornou a Osasco, depois de ter cumprido pena desde fevereiro de 2015 em condenação pela Ação Penal 470. Em 10 de março o ex-parlamentar recebeu o indulto (perdão da pena) do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF). Com isso, ficou livre da punição e de restrições, como comparecimento à Justiça.

Na oportunidade, em sua fala, João Paulo fez um discurso em defesa do governo da presidenta Dilma Roussef, do PT e do ex-presidente Lula. “Temos duas armas: a boca e o coração. Se a gente tiver motivado pelo coração e resolver falar, vamos reverter esse jogo apesar do momento difícil. Não podemos desistir como alguns, que optaram pelo sofá mais macio. O Lula fez um governo que deu orgulho para nós”, afirmou. E complementou: “Experimente pegar a metade dos deputados a origem deles e das famílias ricas do Brasil. Invariavelmente, quase sempre a riqueza dessas famílias tem origem no Estado Brasileiro, nos cofres brasileiros e dos trabalhadores do Brasil. Trazer de volta esse pessoal é combater a corrupção? Eles estão mudando a cabeça do povo por uma coisa simples: todos os trabalhadores passaram a sonhar que se o Lula chegou à presidência da República, qualquer trabalhador poderia progredir”, afirmou.

Sobre às eleições deste ano, João Paulo afirmou que quer estar presente na cidade, para ouvir e conversar com lideranças. “Vamos fazer o nosso trabalho e organizar as campanhas. Vamos preparar nossos candidatos e falar tudo que fizemos. E vamos ganhar. Vamos trabalhar para unificar o PT na nossa disputa em Brasília. Tenho muita fé que esse projeto nosso não será interrompido”, ressaltou, ao citar obras como a implantação da Universidade Federal, a canalização do Rochdale e da avenida Visconde de Nova Granada, UPAS e creches. “Vieram de onde? Caiu do céu? Não! Veio do governo do presidente Lula”, afirmou, referindo-se aos recursos para financiamento dessas obras.

Intolerância
João Paulo falou também sobre o preconceito contra petistas: “A convivência está insuportável. Hoje vejo famílias sendo separadas, amigos não se falam mais. Hoje se você postar uma estrelinha do PT no seu facebook ou uma foto do Lula os outros já xingam e você não pode mais expressar sua opinião política. Hoje os militantes têm que pagar por todos. No Brasil estão tentando fazer o mesmo que fizeram na Itália, com o facismo: era o pensamento que tinha que ser eliminado”.

Imprensa
Ao falar sobre a cobertura jornalística dos escândalos políticos, João Paulo afirmou que “a imprensa no Brasil dá nojo. É uma manipulação barata. Se não tivesse o apoio da rede Globo de forma explicita as manifestações contra o governo não teriam as dimensões que tiveram. Se não tivesse o apoio da Globo com montagens ridículas contra o Lula talvez não tivéssemos nessa situação. A situação é dura. É difícil. Não estou otimista”.

Questionado por jornalistas sobre a reeleição do prefeito Jorge Lapas, João Paulo disse que não iria se manifestar sobre às eleições municipais. O ex-deputado também não quis falar sobre a pré- candidatura do vereador Rogério Lins.

O ex-deputado federal se formou em Direito em julho do ano passado, cerca de seis meses depois de passar do regime semiaberto para o aberto, e foi contratado pelo escritório de advocacia criminal Luís Alexandre Rassi e Pedro Paulo Medeiros. Com o perdão da pena concedido pelo STF, João Paulo disse que pretende, nos próximos meses, obter o registro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que permite ao bacharel atuar como advogado.

Estiveram presentes ao ato os deputados federais Valmir Prascidelli e José Mentor, o deputado estadual Auriel, o vereadores osasquenses Rogério Silva, Valdir Roque, Mazé Favarão, Branco, Dinei Simão e Aluisio Pinheiro. Também prestigiaram o encontro, o vereador Jânio (PMDB) de Barueri, Carlinhos de Ibiúna; o secretário de Indústria, Comércio e Abastecimento de Osasco, Gelso de Lima; Antonio dos Santos, Rodrigo Funchal e Misa Boito, da Executiva Estadual do PT; o presidente da UJS, Diego Nogueira; e Igor Goncalves, presidente da UEO, além de Padre Léo, entre outros.

DECLARAÇÕES:
“Aprendi a admirar ainda mais o João Paulo depois que fui para Brasília. Lá vi o quanto ele é respeitado por todos, inclusive deputados de todos os partidos. Em Brasília a referência do João Paulo existe”, afirmou o deputado federal Valmir Prascidelli.

O deputado Auriel ressaltou que João Paulo “é um capitão do PT e ao mesmo tempo um soldado que vai ajudar a defender a companheira Dilma. Vamos para a luta para manter a democracia em nosso país”, afirmou.

“João é um amigo, um irmão, chorei com a covardia que fizeram contigo”, afirmou o vereador Jânio, de Barueri.
“Não estamos derrotados. Temos que ir para os bairros, escolas e fábricas pois a situação não está perdida. Vamos jogar todo peso na defesa do Lula e do PT”, destacou Misa Boito, da executiva do PT.

“Nossa atenção tem que ser redobrada. Mas cutucaram a onça com a vara curta. Nunca o PT precisou tanto de cada um de nós. João Paulo volta hoje e é um dos maiores dirigentes que o PT já formou. Vai defender o PT em âmbito nacional

Por EMÍLIA CORDEIRO

big banner