• Hoje é: quarta-feira, maio 23, 2018

Moro golpeia discurso tucano; Temer e Renan se afinam

Kennedy Alencar
portalregiaooeste
agosto03/ 2016

Por Kennedy Alencar

O juiz Sérgio Moro deu um duro golpe no discurso tucano sobre corrupção. Segundo ele, há prova de que em 2009 o então presidente do PSDB, Sérgio Guerra, que morreu em 2014, cobrou propina de R$ 10 milhões para abafar a CPI da Petrobras.

Os tucanos sempre argumentaram que não receberam propina da Petrobras porque as indicações dos diretores corruptos foram feitas no governo do PT. Com a Operação Resta Um, a 33ª da Lava Jato, Moro afirma que o dinheiro saiu da estatal e que houve uma tentativa de obstruir a Justiça, abafando uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito).

Outro efeito importante da operação desta terça (2) é fechar o cerco sobre todas as grandes empreiteiras do país. Os investigadores foram incisivos em relação à Queiroz Galvão, dizendo que a empresa cometeu todos tipos de crimes investigados pela Lava Jato.

Afinados
Um encontro entre o presidente interino, Michel Temer, o presidente do Senado, Renan Calheiros, e outros caciques peemedebistas torna mais provável um desfecho do impeachment de Dilma Rousseff ainda em agosto.

Renan cogitou deixar a votação decisiva do impeachment para setembro. Mas essa questão foi separada da indicação do deputado federal Marx Beltrão para o Ministério do Turismo. Beltrão, apadrinhado por Renan e do PMDB de Alagoas, responde a processo no Supremo Tribunal Federal por peculato. Se ele for absolvido, vira ministro. Se for condenado, outro nome será escolhido por Renan.

Via Blog do Kennedy

Tags:
big banner