• Hoje é: terça-feira, agosto 14, 2018

Moradores de Osasco reclamam da falta de medicamento nas UBS’s e Farmácia Central

Medicamento de diabetes e hipertensão
portalregiaooeste
maio22/ 2018

Prestes a completar 18 meses de seu primeiro mandato, o prefeito Rogério Lins (PODEMOS) ainda não conseguiu cumprir os principais itens de seu Plano de Governo na área da Saúde e vem sendo alvo de inúmeras críticas e reclamações por parte dos munícipes. Uma das promessas de campanha que não saiu do caderninho, foi a regularização de entrega de medicamento das farmácias das UBS’s. Hoje, a população vem sofrendo com a falta de medicamentos básicos e de uso contínuo, além da escassez de insumos para pessoas com diabetes como lancetas e seringas.

Em seu Plano de Governo, item 2 da página 10, o então candidato, prometia a criação de quatro farmácias municipais e central de logística para entrega de medicamentos a pacientes preferenciais, bem como a regularização de entrega de medicamento das farmácias das UBS’s. Porém passados quase um ano e meio nada foi feito e a cada dia aumentam as reclamações nas mídias sociais.

Uma munícipe postou em um grupo do Facebook sua indignação pela falta de medicamento na Farmácia Central. “Estou indignada. Todos os dias ligo na Farmácia Central da Prefeitura de Osasco para saber se o medicamento Fluoxetina chegou e, na última sexta-feira, fui informada que na segunda com certeza ele chegaria. Pois hoje liguei novamente e a atendente Vitória afirmou que o medicamento chegou no começo do mês e já havia acabado. Eu pergunto às autoridades quem está falando a verdade? Não somos palhaços e muito menos otários. Resumindo, a mesma atendente depois que eu disse que achava aquilo muito estranho me informou que o medicamento chegará nesta próxima sexta. Eu espero que sim, porque a receita vale apenas por um mês e só vai até dia 26, sábado. Gostaria que alguém responsável me respondesse o que está acontecendo?”.

Mas as reclamações não se resumem aos medicamentos de alto custo ou de uso psiquiátrico. A insatisfação também é grande nas UBS’s. Em outra postagem uma munícipe alega que há 9 meses não tem anticoncepcional na unidade dos Metalúrgicos. Já no Santa Maria a reclamação é sobre a falta de dipirona. No Novo Osasco, medicamentos para diabetes e hipertensão não são entregues à população desde o sexto mês do governo Rogério Lins. Porém, frequentemente, surgem postagens de pessoas com diabetes que não conseguem ter acesso a seringas e lancetas.

big banner