• Hoje é: terça-feira, julho 5, 2022

Incêndio atinge Paraisópolis

incendio Paraisopolis
portalregiaooeste
maio15/ 2016

Neste sábado (14) um incêndio de grandes proporções atinge as moradias da comunidade Paraisópolis, localizada na Rua Herbert Spencer, 50, na Vila Andrade, zona sul da cidade de São Paulo. Segundo o Corpo de Bombeiros, o chamado de socorro foi feito às 17h10 e a corporação enviou para o local 12 viaturas. Foram 22 equipes, com 63 bombeiros ao todo, para fazer o combate às chamas. O local é de difícil acesso. Às 20h o fogo estava confinado em um ponto.

O incêndio destruiu cerca de 120 moradias. Não há informações sobre feridos. O fogo foi extinto pelos bombeiros e a corporação voltou ao local neste domingo (15) para avaliar se há risco para os moradores.

Um homem suspeito de ter começado o incêndio foi preso. O rapaz, de 18 anos, tem um ferro-velho e teria ateado em fios para retirar cobre, de acordo com o relato de moradores. A Polícia Militar informou, em nota, que foi acionada pelos populares que diziam que um homem teria sido o causador do incêndio. Ele foi conduzido ao 89º Distrito Policial e autuado em flagrante pelo crime de incêndio, mas negou que tenha colocado fogo nos fios.

“Os peritos estão aqui para verificar a origem do fogo e como ele se deu. Mas de fato, não é um ambiente adequado para trabalhar com fogo e fazer esse tipo de serviço, é um ambiente residencial. Deveria ter sido feito em um local isolado, aberto, se é que isso ocorreu, onde não ofereça risco para os moradores”, afirmou o capitão Margato.

No trabalho de rescaldo dos bombeiros, eles disseram que o solo ainda está encharcado por causa do esgoto que corre próximo às casas. “A equipe está aqui para avaliar os riscos”, explicou o capitão Margato.

As moradias destruídas ficavam numa área de mil metros quadrados e as chamas se propagaram rapidamente. “Não há distância entre os barracos, são colados uns aos outros, e ainda o material usado na construção das casas, a madeira, propaga a chama muito facilmente, o que dificulta o trabalho e prejudica a todos os moradores”, afirmou o oficial do Corpo de Bombeiros.

Agentes da Defesa Civil e da Subprefeitura do Campo Limpo estavam na entrada da comunidade, mas sem acesso ao local do incêndio. Ainda não é possível saber o número de desabrigados e desalojados. O trabalho dos agentes vai começar somente após as chamas serem controladas.

Via G1

big banner