• Hoje é: quarta-feira, fevereiro 20, 2019

Governo do Estado é cobrado por atraso de obras em Osasco

Alckmin
portalregiaooeste
junho02/ 2016

Cobranças em relação a obras de responsabilidade do governo do Estado e que estão em atraso em Osasco deram o tom da Audiência Pública para debater o orçamento estadual de 2017 realizada, na última segunda-feira (30), na Câmara Municipal. O evento integra um calendário que percorrer as principais cidades do Estado, promovido pela Assembleia Legislativa, para debater pontos prioritários da peça orçamentária estadual para o próximo ano.

Durante a audiência, o público presente pode votar em três tópicos dos nove temas que devem ser considerados prioritários para investimentos na região. Foram eleitos a saúde, a educação e a segurança pública.

A audiência foi presidida pelo deputado Teonilio Barba. E teve, como único deputado estadual presente, Marcos Martins, do PT. Os participantes destacaram o descumprimento dos orçamentos previstos para 2015 e 2016 por parte do governo estadual; além de atrasos nas obras do Hospital Regional e do Fórum do município. Outros temas abordados foram a falta de acessibilidade na estação Osasco da CPTM; a falta de repasses do governo Alckmin ao SAMU; o sucateamento das Fatecs e os problemas de saneamento na região.

Marcos Martins, que tem base eleitoral em Osasco, engrossou a lista de cobranças. “Há vinte anos, quando eu ainda era vereador, a Câmara de Osasco destinou uma área do município para que o estado construísse o Fórum, com dinheiro previsto no orçamento daquele ano. Até hoje não foi feito”. Ele abordou ainda a “interminável” reforma do Hospital Regional de Osasco, que já dura 7 anos. “Vários setores do hospital não estão funcionando ou foram afetados, sem falar do número de leitos que diminuiu. Assim mesmo, o governador veio aqui e inaugurou o hospital, ainda em obras”, completou.

Promovidas pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento (CFOP) da Assembleia Legislativa, as Audiências Públicas do Orçamento devem percorrer 21 cidades das regiões metropolitanas. As próximas serão em São Bernardo do Campo e Franca.

big banner