• Hoje é: quarta-feira, setembro 19, 2018

Fazenda é pulverizada e veneno atinge 300 famílias do MST, em Marabá

aviaopulv
portalregiaooeste
março19/ 2018

 

Cerca de 300 famílias integrantes do MST reocuparam a fazenda Cedro, em Marabá (PA), de onde foram despejados em novembro do ano passado. A fazenda é do Grupo Agro Santa Bárbara. Segundo o MST, a reocupação se deu após integrantes da agropecuária pulverizarem agrotóxico sobre um acampamento provisório, na fazenda vizinha.

O ataque teria ocorrido no sábado, 17, por volta das 12h. Quem explica é a coordenadora do MST no estado, Wildianey Souza Gomes. “Essa pulverização se tornou um estopim, porque com a pulverização adoeceu muita gente, muitas crianças, muitas mulheres, grávidas, crianças de colo também, porque foi o veneno assim direto no acampamento”, afirmou a coordenadora.

A reportagem solicitou informações ao Grupo AgroSB, mas não obteve resposta até o momento. O MST alega que as fazendas estão sobrepostas a terras públicas. A fazenda Cedro tem 8 mil hectares e foi ocupada em novembro de 2008. Já a Fortaleza, onde as famílias despejadas estavam, tem mais de 4 mil hectares e foi ocupada em fevereiro de 2009.

Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PA) devem visitar o acampamento  nesta segunda-feira, 19, para colher depoimento dos trabalhadores que foram atacados com a pulverização.

Wildianey também contou que pelo menos dez moradores desenvolveram reação alérgica, com mal-estar, vômito, e dor de cabeça, após ficarem expostos ao veneno. “É um caso gravíssimo. Inclusive não é a primeira vez que eles fazem isso com a gente”, afirmou. Ela ainda disse que médicos da cidade de Eldorado dos Carajás se recusaram a emitir laudo de intoxicação por envenenamento e apenas receitaram remédios comuns para tratar dos sintomas.

Com informações da EBC e Rede Brasil Atual

big banner