• Hoje é: quinta-feira, agosto 16, 2018

Farmácia Municipal: reclamações de usuários se multiplicam

Foto: PMO
portalregiaooeste
julho18/ 2018

Prestes a completar 5 meses de funcionamento, a Farmácia Municipal do Centro de Osasco vem sofrendo duras críticas nas mídias sociais por parte de seus usuários. Inaugurada pelo prefeito Rogério Lins (PODEMOS) em fevereiro passado, a unidade instalada na avenida João Batista, 144, passou a ser a responsável pela distribuição de medicamentos controlados e de alto custo. E é justamente a nova localização o principal desencadeador das queixas. Além dos custos com passagens de ônibus, longas filas que chegam a tomar parte da calçada, e espaço apertado, agora, a falta de medicamento também engrossa a lista de insatisfações.

Uma usuária questiona em um grupo do Facebook quem teve a ideia de centralizar o atendimento no centro. “Um ambiente lotado e sem estrutura para atender a demanda, com pacientes agitados, pessoas com deficiência acompanhadas por idosos, os atendentes que não dão conta do atendimento, pessoas reclamando, gritando e xingando. Funcionários coagidos. Alguém me diz quem teve essa ideia de concentrar tudo aqui. Porque não colocou uma farmácia na Zona Sul de Osasco e outra na Zona Norte para dividir essa loucura. Parabéns você é um gênio”.

Outra paciente informa que o medicamento demorou tanto para chegar que sua receita acabou vencendo. Usuários também dizem que tiveram que aguardar até 4 horas para ser atendidos, mas ficaram feliz por conseguir o remédio, já que o mês passado foram obrigados a comprar. Além disso, existe várias reclamações sobre a falta de medicamentos como fluoxetina.

Para muitos munícipes a mudança traz mais custos com passagens de ônibus, já que agora precisam sair da Policlínica Zona Norte, onde geralmente acontecem as consultas, para se dirigirem ao Centro. Outros dizem que o local não é apropriado para estacionar veículos.

big banner