• Hoje é: terça-feira, abril 24, 2018

Emir Sader: Lula contra tudo isso que está aí

emir
portalregiaooeste
abril06/ 2018

 

Lula sempre foi um líder moderado, partidário das negociações, como bom líder sindical, unificador. Nunca se valeu do seu imenso apoio popular para buscar soluções extremadas.

O golpe fez com que ele buscasse, muito mais diretamente, o apoio popular, se dando conta que esse é o seu mundo, o seu apoio seguro. As Caravanas tem feito o Lula estreitar suas relações com todos os setores populares, como nunca nenhum líder fez na historia do Brasil. Todos os explorados, os oprimidos, os humilhados, os discriminados, encontram nele o apoio, o abrigo, o abraço, amigo, a acolhida das suas reivindicações.

Do outro lado, as elites dominantes foram se reunificando na luta contra a possibilidade do Lula voltar a dirigir o Brasil. Consideram que cometeram erros graves em 2002, dos quais nunca mais puderam se recuperar com apoio popular, tendo que apelar para o golpe em 2016. Se apegam ao governo como um instrumento de que se valem para defender seus interesses contra a maioria absoluta da sociedade e de que não pretendem soltar.

Foi se dando uma polarização acentuada entre os de cima e os de baixo. Entre os banqueiros e os grandes empresários em geral, a velha mídia e seus ventríloquos, o Judiciário, a Polícia Federal, o Congresso, o governo que usurpou o poder. E entre a grande maioria da população, todos os que vivem do seu trabalho, todos os que vivem no mundo da educação, todos os que prezam a cultura, todos os que amam a democracia, todas as minorias politicas, todos os que se identificam com o Brasil e com o seu povo.

As perseguições ao Lula foram montando armadilhas legais, que devastam toda credibilidade da velha mídia, do Judiciário, da PF, do Congresso. Constituem eles um sistema podre que erige o Lula no único líder politico com legitimidade e apoio popular para se opor a todo esse sistema.

Quanto mais a direita radicaliza a perseguição ao Lula, mais ele personifica, aos olhos de setores cada vez maiores, a única possibilidade de romper essa cadeia de opressão, de arbítrio, de exploração e de discriminação.

Lula foi se tornando a única esperança de resgate para o povo, para a democracia, para o Brasil. Sua legitimidade, a confiança que o povo tem nele, só aumenta, conforme ele é considerado o inimigo número um pelas elites.

Não é hora de ficar especulando sobre outros nomes. Lula segue sendo o candidato maior da esquerda e do povo brasileiro. O único que pode conduzir a luta contra esse sistema podre que o ataca, contra tudo isso que esta aí.

Emir Sader é colunista do Brasil247 e um dos principais sociólogos e cientistas políticos brasileiros. Texto publicado originalmente no site Brasil247

 

big banner