• Hoje é: quinta-feira, julho 27, 2017

É erro apostar que Raquel Dodge será marionete

Kennedy
portalregiaooeste
junho29/ 2017

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Ao indicar opositora de Janot, Temer impõe derrota ao procurador-geral

O presidente Michel Temer foi rápido para tentar esvaziar o poder de Rodrigo Janot, atual procurador-geral da República. Recebeu a lista tríplice da ANPR (Associação Nacional do Procuradores da República) ontem mesmo e escolheu a procuradora Raquel Dodge. Com a sucessora já indicada, há em Brasília aquela velha lenda do cafezinho frio que chega à mesa das autoridades que serão substituídas.

O mandato de Janot vai até 17 de setembro _ele ainda tem lenha para queimar. Temer poderia ter esperado um pouco mais, como fizeram antecessores, mas o presidente levou em conta a oposição que Raquel Dodge faz à gestão de Rodrigo Janot. É simbólica a escolha da adversária interna de Janot. Obviamente, haverá mudanças significativas no estilo e nos principais cargos da cúpula do Ministério Público Federal.

No entanto, a Lava Jato deve ser preservada, porque ganhou dinâmica própria. Difícil abafar uma investigação dessa envergadura. Nos bastidores, Raquel Dodge tem críticas ao que seriam abusos e erros do Ministério Público Federal. É bom que ela corrija eventuais equívocos. A procuradora tem uma carreira com foco em direito penal e direitos humanos. Isso é bom para a Lava Jato e o Brasil.

Os rumores de apoio político de caciques do PMDB e do PSDB foram uma tentativa de desgastá-la durante a campanha eleitoral na ANPR. Mas ela obteve uma votação expressiva. Nicolao Dino, o candidato de Janot, obteve 621 votos. Ela recebeu 587. Ficou em segundo lugar com uma diferença de apenas 34 votos. Isso indica respaldo da categoria.

Essa decisão é mais uma derrota que Temer impõe a Janot do que a garantia de uma aliada na Procuradoria Geral da República. Com raras exceções, a história recente mostra que a indicação de ministros do Supremo e de procuradores-gerais não significa mão leve em relação aos presidentes que os apontaram. Há inúmeros exemplos hoje em Brasília. Uma vez investida do poder do cargo, a pessoa ganha enorme autonomia. É um erro apostar que Dodge será uma marionete.

big banner