• Hoje é: sexta-feira, novembro 16, 2018

Depois de 17 meses, Lins demite diretora que chamou médicos de “vagabundos”

Doctor with a stethoscope in the hands and hospital background. médico
portalregiaooeste
setembro14/ 2018

Não durou nem cinco meses a “promoção” da diretora do Departamento de Atenção Básica da Secretaria da Saúde de Osasco, Rina Bissolati, que em 25 de abril, passou a responder pelo Departamento de Corregedoria da Saúde, em mais uma decisão polêmica e bastante criticada do prefeito Rogério Lins (PODE). No começo de 2017, quando era responsável pelas Unidades Básicas de Saúde da cidade, Rina chamou os médicos da rede municipal de “cambada de vagabundos que não quer trabalhar”. A ofensa que foi registrada durante reunião do Conselho Municipal de Saúde rendeu à gestora, denúncia do Sindicato dos Médicos de São Paulo.

Durante a reunião do conselho, a então Diretora da Atenção Básica, disse que médicos estariam trabalhando por menos tempo, em meio a “esquemas” com colegas. “Coisa combinada é coisa combinada, contrato é pior ainda… porque é uma cambada de vagabundos que não querem trabalhar… tem médico, mas não atende a população”, afirmou.

O motivo da demissão de Rina, não foi divulgado, movimentando os bastidores políticos. Sua exoneração publicada na edição de quarta, 12, da Imprensa Oficial do Município, não contou com a indicação de “a pedido”, que geralmente acompanha as exonerações que são feitas pelos próprios titulares do cargo. O que pode apontar que sua saída não deve ter sido muito amigável.

Por quase 5 meses, Rina ficou responsável por fazer o controle interno e imparcial das infrações disciplinares atribuídas aos servidores da saúde, recebia denúncias e reclamações da população e realizava investigação de denúncias sobre o comportamento ético, social e funcional dos funcionários.

big banner