• Hoje é: terça-feira, outubro 20, 2020

De Paula cobra prefeito por ação da GCM em casa de shows

portalregiaooeste
março13/ 2020


Fiscais da prefeitura e Guarda entraram no local e dispersaram o público com spray de pimenta e gás de efeito moral. Vídeos divulgados nas redes sociais evidenciam momentos de tensão

Por New Times Comunicação

Vereador de Osasco, De Paula (PSDB) cobrou explicações do prefeito Rogério Lins sobre ação de fiscais da prefeitura e da Guarda Civil Municipal (GCM) que, no último sábado (7), impediram a apresentação de uma banda na casa de shows Helena Hall, no Helena Maria, na zona Norte. Vídeos divulgados nas redes sociais e relatos de frequentadores do estabelecimento indicam uso de força excessiva e abuso de poder por parte da Guarda.

De acordo com a Moção de Esclarecimento apresentada pelo tucano na Câmara Municipal, os fiscais da prefeitura e a GCM compareceram à casa de shows para apurar denúncia de perturbação do sossego, por conta do som alto. Durante a abordagem, a fiscalização exigiu o fechamento imediato do local. A partir de então, a Guarda passou a utilizar spray de pimenta e gás de efeito moral para dispersar o público. Para De Paula, faltou bom senso.

“Em que pese toda circunstância de movimento e até a eventual irregularidade, consideramos que a utilização do bom senso deve sempre prevalecer nesses momentos, no objetivo de apaziguar os ânimos, buscando sempre a melhor solução para todos os envolvidos”, escreveu De Paula ao justificar a moção.

“Certamente, se fosse tomado esse cuidado, não teria ocorrido o uso de spray de pimenta e de gás para dispersão da multidão, até porque verificamos por meio de vídeo postado nas redes sociais que os clientes deixaram o local de forma pacífica e ordeira”, completou o tucano.

Para De Paula, a situação poderia ter sido resolvida de outra maneira. Segundo ele, a fiscalização deveria, primeiro, orientar os organizadores do show sobre a infração cometida pelo som acima do volume permitido e não fechar a casa que tem todos os documentos e alvarás regularizados.

“Os fiscais e a Guarda agiram de forma equivocada. Poderia ter acontecido uma tragédia em Osasco igual a Paraisópolis. Graças a Deus as pessoas deixaram o local calmamente, mesmo sob efeito do gás e spray de pimenta. É preciso que a prefeitura explique este tipo de atitude e esclareça qual orientação é passada para os fiscais e a Guarda nestes casos”, finalizou o parlamentar.

Fotos: Reinaldo Vaz

big banner