• Hoje é: segunda-feira, outubro 23, 2017

Conta de luz ficará mais cara em outubro

Luz se apagando
portalregiaooeste
setembro29/ 2017

Desde que o sistema de bandeiras surgiu, em 2015, é a primeira vez que a taxa extra de R$3,50 a cada 100kWh é aplicada

A Aneel confirmou nesta sexta, por meio de sua assessoria de imprensa, que a bandeira tarifária para o mês de outubro de 2017 será vermelha (patamar 2), com custo de R$ 3,50 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos, a mais cara, a justificativa apresentada é a estiagem que atinge as hidrelétricas.

Desde que o sistema de bandeiras surgiu, em 2015, é a primeira vez que o patamar 2 é utilizado. No mês de setembro, vigorou a bandeira amarela.

Entenda como surgiu o sistema de bandeiras na tarifa de energia

Foi a partir de 2015 que as contas de energia passaram a trazer uma novidade: o sistema de Bandeiras Tarifárias.

O sistema possui três bandeiras: verde, amarela e vermelha – as mesmas cores dos semáforos – e indicam se a energia custa mais ou menos, em função das condições de geração de eletricidade:

Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo.

Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,020 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos.

Bandeira vermelha – Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,030 para cada quilowatt-hora kWh consumido.

Bandeira vermelha – Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,035 para cada quilowatt-hora kWh consumido.

O sistema de bandeiras é aplicado por todas as concessionárias conectadas ao Sistema Interligado Nacional – SIN. A partir de 1º de julho de 2015, o sistema de bandeiras passou a ser aplicado também pelas permissionárias de distribuição de energia.

big banner