• Hoje é: sábado, dezembro 14, 2019

Congresso deve abrir CPI sobre Moro, Dallagnol e farsa para prender Lula e fraudar eleição

Moro
Paulo Marcelino
junho10/ 2019

O site The Intercept divulgou no domingo, 9 de junho, trechos de mensagens atribuídas a procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba e ao então juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, extraídas do aplicativo Telegram.

Segundo o site, as informações foram obtidas de uma fonte anônima. O site diz ainda que procuradores, entre eles Deltan Dallagnol, trocaram mensagens com Moro sobre alguns assuntos investigados, onde o então juiz federal orientou ações e cobrou novas operações dos procuradores.

A cúpula do Congresso Nacional já vê como praticamente certa uma CPI sobre as conversas entre Sergio Moro, Deltan Dallagnol e outros integrantes do Ministério Público. Jair Bolsonaro, que não se pronunciou sobre o escândalo, está tentando se afastar ao máximo do caso, apesar de ter sido o maior beneficiário com as manobras ilegais da Lava Jato, com o impedimento de Lula de participar do pleito e até de conceder uma entrevista.

O conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Conselho Nacional do Ministério Público, Erick Venâncio, informou que a instituição apresentou uma representação junto ao CNMP pelos diálogos publicados pelo site Intercept Brasil demonstrando articulações entre o ex-juiz federal Sérgio Moro, o procurador da Operação Lava Jato Deltan Dallagnol e demais membros do Ministério Público Federal (MPF-PR) para condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mesmo com dúvidas do próprio órgão sobre a existência de provas.

Nas conversas, o procurador da Operação Lava Jato Deltan Dallagnol confirmou ao ex-juiz federal Sérgio Moro a falta de provas contra Lula no processo do triplex em Guarujá (SP). “A denúncia é baseada em muita prova indireta de autoria, mas não caberia dizer isso na denúncia e na comunicação evitamos esse ponto”, escreveu Dallagnol a Moro.

O jornalista Glenn Greenwald garantiu nesta segunda-feira, 10, que há muito material a ser divulgado, que comprova a atuação parcial de Sérgio Moro nas ações da Lava Jato; “Moro era um chefe da força-tarefa, que criou estratégias para botar Lula e outras pessoas na prisão, se comportando quase como um procurador, não como juiz”, disse Greenwald.

Greenwald diz que o volume de material obtido por ele neste caso supera o da principal reportagem de sua carreira, que comprovou, em parceria com o ex-agente da CIA e da NSA Edward Snowden, no ano de 2013, o monitoramento indevido de informações privadas em massa pelos serviços de inteligência dos Estados Unidos.

A FARSA DA LAVA JATO
A Executiva Nacional do PT divulgou nesta segunda-feira, 10, nota destacando que as revelações do site The Intercept de que o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol atuaram em conluio para montar a ação que condenou o ex-presidente Lula sem provas.

Em nota, a Executiva Nacional do PT disse que as revelações do The Intercept comprovam de maneira inequívoca a farsa da Lava Jato; “Ao contrário do que afirmam hoje para tentar abafar suas ações ilegais, Moro e os procuradores da Lava Jato ultrapassaram todas as fronteiras da legalidade e do estado democrático de direito. Cometeram crimes contra a liberdade de Lula, contra o direito de defesa e o devido processo legal e, principalmente, contra a soberania do povo no processo eleitoral”, diz o PT.

big banner