• Hoje é: terça-feira, outubro 23, 2018

Comércio da região lidera demissão de trabalhadores no estado de SP

Vinte e um alunos da Escola de Educação Especial Primavera, no Tarumã, receberam na manhã desta terça-feira (02) a carteira de trabalho.
Foto: Valdecir Galor/SMCS
portalregiaooeste
junho02/ 2016

A queda nas vendas tem reflexo direto no nível de emprego do comércio. Somente em março, o comércio varejista na região de Osasco fechou 1.603 postos de trabalho. Com isso, em 12 meses, foram eliminados 7.382 empregos com carteira assinada. Os dados de março representam ainda uma queda de 5,1% em relação ao mesmo mês de 2015, o pior desempenho do Estado de São Paulo.

As informações são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), elaborada com base nos dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Das nove atividades analisadas, sete apresentaram queda na ocupação formal em março no comparativo com o mesmo mês de 2015. Os maiores recuos foram registrados nos segmentos de lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e lojas de departamentos (-20,2%) e de lojas de móveis e decoração (-10,2%). Em contrapartida, o setor de farmácias e perfumarias (5%) foi o que apresentou maior crescimento, seguido pelo segmento de supermercados (1,5%).

Em todo o estado, também em março, o comércio varejista eliminou 13.277 empregos com carteira assinada. Esse é o pior saldo para o mês desde o início da apuração dos dados pelo Ministério do Trabalho, em 2007. Somente no primeiro trimestre deste ano foram encerrados 46.718 postos formais no varejo.

No mesmo período de 2015 o saldo negativo do setor ficou em 35.166 empregos com carteira assinada, ou seja, neste ano houve 32,8% mais fechamentos de postos de trabalho nos primeiros três meses do ano. Já nos últimos 12 meses foram extintos 71.993 vínculos empregatícios no comércio varejista. Entre abril de 2014 e março de 2015, por exemplo, ainda havia um saldo positivo de 9.282 vagas.

big banner