• Hoje é: sexta-feira, julho 3, 2020

Com 134 óbitos, Osasco lidera mortalidade pelo novo coronavírus. Faltam leitos de UTI e MP investiga

  • 12729
  • 12729
  • 12729
  • 12729
portalregiaooeste
maio05/ 2020

Com 134 óbitos, Osasco lidera mortalidade pelo novo coronavírus. Faltam leitos de UTI e MP investiga fraude em contratações feitas por Rogério Lins

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, com quase 700 mil habitantes, Osasco é a cidade com maior mortalidade (por 100 mil habitantes), pelo Covid-19 (Sars-Cov-2), no Estado de São Paulo, ficando atrás apenas da Capital. O município contabiliza 134 óbitos confirmados e lidera outro ranking, na região Oeste o número de infectados, com 1350 casos confirmados e mais 1250 casos em análises até 4 de maio, com 10% de letalidade.

Conforme dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), de 29 de abril, a cidade possui apenas 30 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19 e foram criados 103 leitos comuns, insuficientes para atender a demanda de pacientes infectados pelo novo coronavírus. Denúncia apresentada pelo vereador Tinha di Ferreira, aponta que o prefeito Rogério Lins, do Podemos, gastou mais de R$ 96 milhões em contratações, em sua maioria sem licitação, em contratos emergenciais superfaturados, que estão sendo investigados pelo Ministério Público e também por meio da Ação Popular 1006250-83.2020.8.26.0405. O parlamentar apresentou documentos oficiais que comprovam as denúncias.

Além deste valor, foram enviados R$ 15.445.099,80 milhões por meio dos governos federal e estadual para serem investidos na saúde no combate ao Covid-19 e o prefeito não instalou sequer um novo hospital de campanha, apenas “fechou” a Policlínica da zona Norte, que atendia casos de média complexidade e diversas especialidades. Desta forma, à população ainda será penalizada por não contar mais com o atendimento naquela unidade. Além disso, os outros pontos de Centro de Tratamento Intensivo (CTI) que ficam no Pronto Socorro do Santo Antonio e no Pronto Socorro Osmar Mesquita, no Helena Maria, também já “existiam”.

“Existe um crime organizado dentro da prefeitura de Osasco. O prefeito é um cara de pau e mente descaradamente com molecagem. É uma vergonha! Estão roubando na cara dura: Rogério e o secretário de saúde, o Bola, que já foi preso por tráfico de drogas, ambos ex-presidiários. Eu apenas mostro a verdade, doa a quem doer”, afirmou Tinha em uma live na noite de 4 de maio.

E complementou: “O pico do coronavírus está chegando. Na Policlínica, pacientes que lá forem internados, muitos vão morrer porque não existem respiradores suficientes. Além disso, o prefeito não construiu nenhuma unidade nova. Aqui tudo é superfaturado. O prefeito é ladrão do dinheiro do coronavírus. Terceirizou o serviço para o Instituto Esperança e Vida e outras empresas, gastando mais de 96 milhões, superfaturando os valores. Ele cometeu crime de improbidade administrativa”, disparou Tinha.

A prefeitura de Osasco foi procurada pela reportagem do Portal, mas não se manifestou até o fechamento da matéria.

big banner