• Hoje é: terça-feira, novembro 21, 2017

CCJ aprova rejeição de acusações contra Temer e Valmir dispara: vergonha nacional

Brasília - O presidente interino Michel Temer dá posse ao novo ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Torquato Jardim. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
portalregiaooeste
outubro19/ 2017

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou, nesta quarta-feira, por 39 votos a 26 (e 1 abstenção), o relatório do deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG) que propõe a rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

Mas a decisão não livra Temer do processo. Mesmo com a decisão da CCJ, o prosseguimento ou não do processo para o Supremo Tribunal Federal (STF) serão definidos no plenário da Câmara, em votação que acontece na próxima quarta-feira.

Se o plenário rejeitar o prosseguimento da denúncia, Temer só poderá ser processado após o fim do mandato. Já se aprovar, o Supremo decide sobre o afastamento de Temer do mandato. O presidente foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Já Moreira Franco e Padilha, por organização criminosa.

Membro da CCJ, o deputado Valmir Prascidelli (PT-SP), que tem base eleitoral em Osasco, votou contra o parecer do relator e a favor das denúncias contra Temer. E classificou a decisão da comissão como uma “vergonha nacional”. Além disso, fez um alerta. “O plenário ainda pode afastar o golpista”, disparou.

Confira como votou cada bancada
:
PMDB, PP, PSD, PR, DEM, PRB, PTB, SD, PSC e PROS orientaram as bancadas a votar a favor do relatório;
PT, PSB, PDT, Pode, PCdoB, PPS, PSOL, PHS e Rede orientaram voto pela rejeição do parecer
PSDB e PV liberaram os deputados para votar como quisessem

big banner