• Hoje é: terça-feira, julho 25, 2017

Assassino de cartunista Glauco é encontrado morto na prisão

carro da polícia
portalregiaooeste
abril05/ 2016

Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, 30, conhecido como Cadu e assassino confesso do cartunista Glauco Vilas Boas e de seu filho, Raoni, em 2010, em Osasco, foi assassinado no Núcleo de Custódia, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, onde cumpria pena.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás, ele foi morto durante uma briga com outro detento no horário do banho de sol. O interno Nilson Ferreira confessou o crime e disse que usou uma arma artesanal para se defender de uma briga iniciada por Cadu. De acordo com a secretaria, os agentes penitenciários de plantão perceberam a movimentação e intervieram na briga, mas não conseguiram evitar o assassinato.

Cadu cumpria pena por outros dois assassinados, cometidos um ano depois de ter ganho a liberdade, em julgamento pelas mortes em Osasco, no qual foi considerado inimputável – que não pode ser responsável pelos seus atos – por ser esquizofrênico.

Em liberdade, ele voltou a ser preso em 2014 acusado de ter cometido dois latrocínios (roubo seguido de morte) em Goiânia. No ano passado, ele foi condenado a 61 anos e seis meses de prisão em regime fechado, pena que cumpria até hoje.

Em Osasco, os assassinatos aconteceram na casa de Glauco e Raoni, no Jardim Três Montanhas. Cadu frequentava uma igreja, fundada pelo cartunista e que funcionava no local.

big banner