• Hoje é: domingo, maio 28, 2017

APÓS FOTO DE CRIANÇA SÍRIA COMOVER O MUNDO, RÚSSIA NEGA ATACAR ALVOS CIVIS

menino-guerra
portalregiaooeste
agosto19/ 2016

Por Brasil 247

Ministério da Defesa russo desmentiu informações da mídia estrangeira sobre um ataque aéreo contra o bairro de Al-Kvaterdzhi na cidade síria de Aleppo, alegadamente realizado em 17 de agosto; segundo o porta-voz da entidade russa, major-general Igor Konashenkov, a Rússia tem reiterado imensas vezes que os aviões das Forças Aeroespaciais da Rússia nunca atingem alvos dentro dos limites de povoações; Konashenkov ressaltou que a mesma coisa se refere ao bairro Al-Kvaterdzhi adjacente aos dois corredores que servem de saída segura para os civis; nesta quinta-feira (17), imagens do menino Omran Daqneesh, que teria sido ferido em um bombardeio por aviões da Rússia, aliada do governo sírio, chocaram o mundo.

Sputnik – O Ministério da Defesa russo desmentiu informações da mídia estrangeira sobre um ataque aéreo contra o bairro de Al-Kvaterdzhi na cidade síria de Aleppo, alegadamente realizado em 17 de agosto.
Segundo o porta-voz da entidade russa, major-general Igor Konashenkov, a Rússia tem reiterado imensas vezes que os aviões das Forças Aeroespaciais da Rússia nunca atingem alvos dentro dos limites de povoações.
Ele ressalta que a mesma coisa se refere ao bairro Al-Kvaterdzhi adjacente aos dois corredores que servem de saída segura para os civis.

Nos últimos meses Aleppo tem se tornado objeto de confrontos entre combatentes rebeldes e tropas leais ao governo sírio. Na segunda-feira, os rebeldes fizeram uma tentativa para romper as posições das tropas do governo no centro-oeste e sudoeste da cidade cercada, mas esse ataque foi repelido.
No final de julho, uma operação humanitária de larga escala foi iniciada em Aleppo. As tropas sírias apoiadas pela Rússia criaram corredores para possibilitar a saída dos residentes locais e militantes rendidos. O presidente sírio Bashar Assad prometeu garantir anistia aos radicais que depuserem as armas e voltarem à vida pacífica nos próximos três meses.

Ao mesmo tempo, os terroristas ameaçam matar civis em caso de eles abandonarem os bairros controlados pelas tropas do governo.

big banner