• Hoje é: sábado, dezembro 16, 2017

Apeoesp avança em negociações de professores temporários

Bebel/APEOESP
portalregiaooeste
dezembro06/ 2017

De acordo com Sindicato dos Professores, governo afirma que ainda analisa os casos; entidade quer o fim da duzentena e apenas 40 dias de afastamento

As negociações para reduzir o período de afastamento de professores da categoria ‘O’ segue em andamento. De acordo com o Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo (Apeoesp), a secretaria Estadual de Educação e outros órgãos do governo, além da Procuradoria Geral do Estado, informaram que negociam a situação para que os educadores tenham um período menor sem trabalho.

Os educadores desta categoria são os que possuem contratos temporários e teriam de ficar um tempo fora de aula até firmar um novo vínculo. Esse período é de 180 dias, e a Apeoesp atua para alterar essa situação que deixaria sem emprego por seis meses professores da rede pública.

“Lembro que o Governo já se propôs a reduzir este afastamento de 180 dias para 90 dias, mas nós, da Apeoesp, com respaldo do Conselho Estadual de Representantes, recusamos esta proposta, pois ela não resolve o problema desses professores”, afirma a presidente do sindicato, Maria Izabel Azevedo Noronha, a professora Bebel.

“Estamos insistindo numa redução para 40 dias, na perspectiva de uma nova lei que cumpra a Estratégia 18.20 do Plano Estadual de Educação, assegurando aos professores temporários direitos equivalentes aos dos efetivos”, ressalta.

A Apeoesp busca a formação de uma comissão paritária entre a Apeoesp e a secretaria estadual de Educação, para definir as regras da atribuição de aulas de 2018.

big banner