• Hoje é: quarta-feira, fevereiro 20, 2019

Ambulante foi agredida durante ato fora Temer

pmprotestotemer
portalregiaooeste
setembro19/ 2016

Ação truculenta da Polícia Militar contra uma mulher que vendia água durante manifestação contra Temer em São Paulo gerou revolta das pessoas que estavam no local no domingo, 18; um grupo que estava no local tentou defender a ambulante e até empurrar os policiais, mas levava spray de pimenta no rosto a cada investida; um deles foi o ex-senador Eduardo Suplicy; a mulher estava deitada no chão e os agentes levaram sua caixa com água;
SP 247 – A Polícia Militar agrediu uma mulher que vendia água durante a manifestação contra Michel Temer em São Paulo neste domingo 18 e provocou a revolta das pessoas presentes.

Quem estava no local tentou ajudar a ambulante, afastando os policiais de perto dela, mas levava spray de pimenta no rosto pelos agentes a cada investida. Um deles foi o ex-senador Eduardo Suplicy, que divulgou o vídeo da cena em seu Twitter.A mulher estava deitada no chão e os agentes levaram sua caixa com água. Suplicy foi empurrado pelos policiais, afastado com gás de pimenta e ameaçado de tomar uma pancada de cassetete. Segundo reportagem do UOL, uma repórter da TV Brasil foi atingida na cabeça com uma garrafa.

Eduardo Suplicy disse que vai enviar uma carta ao governador de São Paulo Geraldo Alckmin e ao secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, para indagar sobre a violência policial no protesto. “O PM jogou gás de pimenta em mim e em diversas pessoas. Acho isso um absurdo”.
O ex-senador explicou que foi interpelar o policial para saber motivo de impedir a vendedora de trabalhar e “porque quiseram agredir e bater e retirarem a caixa dela. Por que exatamente em uma mulher? Bateram no meu braço”, disse Suplicy. “Foi um comportamento injusto e injustificado. A manifestação é inteiramente pacífica”, completou.
Indagado sobre o fato da polícia do estado ter justificado que estava cumprindo uma tarefa dada pela prefeitura da cidade, de fiscalizar os ambulantes, Suplicy disse que o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, “jamais permitiria tamanha violência. Os PMs estão descontrolados”, afirmou.

Dos quatro protestos organizados pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, pedindo a saída do presidente da República, Michel Temer, e novas eleições no país, em três houve episódios de violência policial. Nas duas primeiras, a PM utilizou gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral contra os manifestantes e uma ocorreu pacíficamente.

big banner