• Hoje é: terça-feira, setembro 19, 2017

“Acredito na Justiça”, afirma advogado de Lins e Sacco

Dr Flavio
portalregiaooeste
dezembro13/ 2016

Segundo Flávio Christensen Nobre, não há qualquer prova que justifique o pedido de prisão preventiva contra os vereadores. “Respeito muito o MP, mas nesse caso específico houve falha”, completa

Não há qualquer elemento que justifique o pedido de prisão preventiva, pelo Ministério Público, do vereador e prefeito eleito Rogério Lins e do vereador André Sacco Júnior. Quem faz essa afirmação é o advogado Flávio Christensen Nobre, que defende ambos das acusações de manter funcionários fantasmas na Câmara Municipal de Osasco. “Não há nada nos autos e nem uma prova sequer tanto de funcionários fantasmas quanto de desvio de recursos. Respeito muito o Ministério Público, mas nesse caso e específico houve falha”, afirma.

No caso específico de Lins, que está em viagem ao exterior, Nobre afirma que ele não pode ser considerado foragido da Justiça, já que comunicou o MP de que estaria fora do país nesse período. “Ele deu ciência de que estaria ausente. E a prisão sobreveio durante o período de viagem”. O advogado aponta ainda falhas na apuração do Ministério Público quanto à apuração dos supostos funcionários fantasmas. “No dia em que houve a inspeção na Câmara, por exemplo, um dos funcionários foi acusado de ser fantasma porque estava em sua casa. Mas ele estava de férias. E outra funcionária, sob a mesma acusação, estava afastada para tratamento de saúde. Isso foi provado, encaminhado ao MP, que não deu ciência à juíza”, completa.

Nobre afirma ainda que colocou, à disposição da Justiça, a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Lins. “Ele é totalmente inocente. Eu acredito na Justiça. O Judiciário nos dará uma resposta”, finaliza.

big banner